quarta-feira, 18 de novembro de 2009

É momento de lutar




Talvez o comodismo seja o pior sintoma da letargia, a falta de ação, a contemplação muda, improdutiva e ineficaz diante dos fatos.
Quando nada se faz, nada se consegue. Dar os primeiros passos em direção àquilo que se almeja é não somente lutar para atingir os objetivos, mas é, principalmente, dar exemplo àqueles que estão nesse estado de inércia, mostrando a eles que a transformação, ainda que lenta, é possível.
Acreditando na possibilidade de iniciar um movimento pela dignidade do Povo de Santo, fazendo valer seus direitos e, mais ainda, levando a ele a compreensão de seu papel social, enquanto agente cultural, religioso e cidadão, é que realizaremos na próxima segunda-feira, dia 23 de novembro de 2009, a partir das 18 horas, no São Tiradentes, no oitavo andar da Câmara Municipal de São Paulo, o Primeiro Seminário de Integração do Povo de Santo para os Direitos Humanos, onde temas relevantes à nossa crença serão debatidos.
Não se trata de um movimento política, e sim de uma ação pelo reconhecimento dos direitos do Povo de Santo (Umbanda, Candomblé e afins) perante a sociedade. Assim, levaremos os seguintes assuntos à pauta de discussões:

• Os direitos das religiões afro-descendentes e a tolerância religiosa;
• os direitos e deveres jurídicos das casas de Umbanda e Candomblé;
• isenção de impostos para templos religiosos (questão que varia de acordo com as legislações municipais);
• regularização das casas de Umbanda, a fim de ter seus direitos garantidos;
• espaços públicos para realização de rituais;
• criação de centros de referência e memória das religiões afro-descendentes.

Nomes já confirmados:
Alexandre Cumino: sacerdote de Umbanda, autor do livro “Deus, Deuses e Divindades”, diretor responsável pelo Jornal de Umbanda Sagrada, o maior periódico de temática umbandista e mestre do Curso de Teologia de Umbanda.

Vereador Ítalo Cardoso: presidente da Comissão de Direitos Humanos da Câmara Municipal de São Paulo.

Deputado Rui Falcão: jornalista atuante na Folha de São Paulo, advogado, conhecido pelas suas lutas pelos direitos humanos e pela democracia.

A confirmar:
Dr. Hédio Silva Jr: Mestre e doutor em direito pela PUC, cnsultor da Secretaria Especial de Políticas de Promoção da Igualdade Racial da Presidência da República, Consultor da Unesco e do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento, importante nome nas lutas contra a intolerância racial e religiosa.

Esse pequeno e modesto movimento, comparado a um “passo de formiguinha”, será o pontapé inicial para o debate em outras regiões e municípios, ampliando o debate sobre os direitos do Povo de Santo. Contamos com a sua presença

Organizadores:
Jordam Godinho
Douglas Fersan
João Galvino

Colaboradores:
R. Meirelles
Silvio Garcia
Jairo Pereira Jr

2 comentários:

Gabus disse...

Olavo de Carvalho dissemina preconceito:
http://www.youtube.com/watch?v=tnCZXp1vW_k

Ele atribui o terremoto do Haiti e a tragédia de São Luiz do Paraitinga à "macumbaria" (expressão preconceituosa com que ele se refere às religiões afro).

Entre em contato com a Defensoria Pública ou o Ministério Público, pois o supracitado jornalista pode ser enquadrado em vários dispositivos legais, inclusive no dever de indenização por danos morais.

Pai Rafael de Xangô disse...

BOM DIA,

ALGUÉM CONHECE A HISTÓRIA DO PAI RAFAEL DE XANGÔ DE MINAS GERAIS QUE TEM 23 ANOS E MUITO CONHECIMENTO, POIS ABRAÇOU A UMBANDA AOS 09 ANOS?
ESTE NO ANO PASSADO FOI VÍTIMA INTOLERÂNCIA RELIGIOSA E QUASE MORRE.
ESTÁ LUTANDO PARA QUE AS PESSOAS SEJAM PUNIDAS DESDE 11 DE OUTUBRO DO ANO PASSADO E CONTINUA SENDO AMEAÇADO DE MORTE. PESSOAS INVADIRAM A CASA DELE E TENTARAM MATÁ-LO. A POLÍCIA COMPARECEU NA HORA, O RAPAZ DISSE QUE ESTAVA LÁ PORQUE TINHA SIDO REVELADO EM UMA IGREJA QUE O "MENINO" RAFAEL ESTARIA FAZENDO TRABALHOS CONTRA A IRMÃ DELE, E QUE ELE TINHA IDO VER A CASA DO PAI RAFAEL PARA OS BANDIDOS VIM MATÁ-LO. A POLÍCIA LIBEROU O RAPAZ E O PAI RAFAEL ESTÁ SOFRENDO MUITO COM ISSO.
JOAO -