sábado, 15 de setembro de 2012

Apologia à Ignorância na Umbanda


Pra Refletir...

Não participo de mais nenhuma comunidade Umbandista ou Espírita nem no Orkut ou em outro local a não ser esta como também não tenho curiosidade de ficar visitando outras comunidades porém, volta meia , recebo via email trechos de várias comunidades, sites, blogs e similares acompanhados de comentários ora divertidos, ora desanimados, ora irritados, ora assombrados . A mudança de humores das pessoas amigas que enviam variam de acordo com o tema . Este que comentarei foram vários , em dias diferentes, de locais diferentes acompanhados de todas as variações , de divertidos à estupefatos .

Óbvio que não citarei as fontes dos trechos pois vou comentar sobre fatos; As origens e seus personagens são de importância insignificante e dar publicidade aos fatos não é o mesmo que dar notoriedade à locais e personagens que quanto menos aparecem , melhor. Também deixo claro que não fui citado (já que sou tão desconhecido para eles como eles são para mim) portanto comento de forma neutra e impessoal.

Corre “à larga” nestas muitas comunidades, sites e blogs uma campanha cujo cerne é a apologia à ignorância dos Umbandistas.

Auto proclamados PDS e MDS postam minimizando e até ridicularizando o estudo sério acerca do plano espiritual, da Umbanda, da mediunidade e todo e qualquer tema que seja ligado à área religiosa .

Iniciam sempre dizendo uma verdade incontestável que “Umbanda se aprende nos Templos e junto aos Guias” para em seguida criticarem quem estuda as obras da Codificação, as obras pós Codificação (Leon Denis, Flamarion, etc), as obras de Chico e de quebra sobra até para Ramatís, Robson Pinheiro, Sarraceni e Matta e Silva. (Não que eu ache que os últimos sejam a “fina flor do conhecimento válido” mas muitos que desejam estudar precisam começar de algum ponto. O tempo dá o discernimento).

Isto é chamado de sofisma : “argumento ou raciocínio concebido com o objetivo de produzir a ilusão da verdade, que, embora simule um acordo com as regras da lógica, apresenta, na realidade, uma estrutura interna inconsistente, incorreta e deliberadamente enganosa”.

Seguem em tais criticas dizendo que quem estuda, quem busca explicações lógicas e coerentes nas manifestações e nos Templos na realidade nada conhecem da Umbanda, que possuem muita teoria que presta para o “Kardecismo” que é “frio”(???) mas não sabem nada de prática. Geralmente finalizam mostrando a importância dos PDS e MDS os quais tem as respostas corretas para qualquer dúvida dos ‘filhos” pois aprenderam diretamente com seus “Guias”.

Tudo isto temperado com as benditas frases:

1) A Espiritualidade tem muitos mistérios

2) Nada sabemos acerca da Espiritualidade

3) Ninguém é dono da verdade

4) Quem escreveu livros é tão falho como qualquer um.(misturando aqui Kardec, Denis com Sarraceni e Mata e Silva)

5) Quem psicografa pode colocar muita coisa da cabeça.(misturando aqui Chico com Hercílio Maes e Robson)

6) Umbanda é totalmente diferente do “Kardecismo”( tirando o bendito Kardecismo, concordo plenamente)

7) A Espiritualidade da Umbanda é totalmente diferente do “Kardecismo”( aqui não salvou nada).

Além disto sobram adjetivações onde quem estuda acaba virando dono da verdade, presunçoso, prepotente ,etc.

Afirmam que quem busca a Umbanda não quer saber de aprender nada, apenas ter seus problemas resolvidos ( triste ver que uma magnífica escola virou uma repartição pública na visão destes que devem pensar que Jesus quando passou ela Terra só tratou de resolver problemas dos outros).

Por fim geralmente terminam dizendo: “ Estudo é bom sim maaaaasssssssssssss........”

É !!! Que ponto chega a esperteza e a tentativa desesperada para a manutenção do “status quo” de manter médiuns na ignorância para não perder o “brilho” do cargo, para não ter afetadas suas conveniências pessoais e financeiras.

Na realidade médiuns na ignorância vão sempre “comer nas mãos” destes espertalhões pois sem um mínimo de conhecimento necessário e desmotivados à terem interesse buscar respostas em literaturas sérias jamais irão comparar as respostas destes marmoteiros e de seus supostos guias aceitando-as como verdadeiras e únicas.

Marmoteiros são assim, posam de saberetas e quando a pergunta aperta dizem que a resposta é mironga, de poderosos pois possuem “guias” que fazem e desfazem até o que Deus dúvida, se vestem como noiva em dia de casamento com quilos de colares no pescoço para quem entrar no local saberem perfeitamente quem manda porém cobram humildade e abandono da vaidade, falam de moral e caridade porque o discurso fica bonito, dá ares de iluminação e evita perguntas incômodas .

Embasam sempre suas respostas em experiências pessoais sem qualquer meio de comprovação a não ser a palavra deles mesmo; E como não poderia faltar, a frase “respeito à todas as formas de culto porque se estão aí é por vontade de Deus” (e tome saci, caipora, gnomo, ET , pombagira arrepiada ,exu caveira do forno crematório incorporando. Boiadeiros descendo ao som de Chitãozinho e Xororó, guias atendendo celular, etc. As drogas também estão aí, os assassinatos, a corrupção, a prostituição infantil; Também é vontade de Deus e por achar assim devemos respeitar??)

Já diz o ditado: “Quem sabe as letras reza a missa mal ou bem; Quem da missa não sabe o terço só resta dizer amém”.

Considero uma atitude criminosa desestimular, diminuir a importância e mesmo ridicularizar o estudo, a busca racional do conhecimento espiritual.

Duvido que algum destes marmoteiros iriam aconselhar ou mesmo dizer que não tem a mínima importância estudar para seus filhos de sangue. Sem estudo aqui na Terra as consequências podem ser bem ruins materialmente falando. Agora estudo espiritual vai atrapalhar seus interesses. E os médiuns??? Nem se preocupam porque a maioria destas pessoas na realidade não acreditam nem nelas . Importante é o que podem conseguir de vantagens: trocar de carro, comprar uma casa .

Infelizmente a Umbanda virou meio de vida e/ou um meio de ser o centro das atenções para diminuir o complexo de inferioridade e a baixa estima para muitos.

Qualquer pessoa que queira se tornar um Umbandista de fato, honesto e comprometido com a Umbanda e a Espiritualidade tem a obrigação de estudar sim.

A coisa acaba funcionando mais ou menos assim:

- Estudando adquire bons argumentos(base sólida) e também surgem dúvidas.

- Vai junto aos Guias e expõe as dúvidas. Tendo bons argumentos a conversa flui e vai longe.

- Em casa pensa e repensa as respostas recebidas . Compara as respostas com o que está estudando.

- Analise se as respostas são lógicas. Observe se as respostas são coerentes com as obras literárias sérias e confiáveis, com as Leis Universais e Morais.

Isto é estudar, isto é pesquisar, isto é aplicar um mínimo de metodologia científica, isto é ser racional, isto é buscar evoluir.

Ahhhh, mas o importante é fazer a caridade!!! É importante sim e já estamos carecas de saber disso .Não existe uma única bendita alma que esteja na Umbanda ou fora dela que não saiba disto( salvo as mentes tacanhas em questões espirituais), portanto ficar batendo nesta tecla como desculpa para deixar os estudos em segundo plano é estar se fazendo de bobo e achar que esta fazendo de bobo os outros também. Na realidade mais se fala sobre caridade do que realmente a pratica.

Ahhhh, mas as pessoas querem é ter seus problemas resolvidos!!!! Verdade. Quem não quer?? Só que 90% dos problemas tem origem na ignorância espiritual que produz reflexos na vida material. Caridade está no ensinar à pescar ou seja esclarecer tais pessoas da real origem dos problemas e como evitar que ele retornem sem que necessariamente elas tenham que assumir o compromisso de frequentar o Templo.

Ahhhh, mas a prática é tudo!!!!! Mas a prática é de quem, do médium ou do Guia? Quem que vai aconselhar, quem vai resolver o que tenha e possa ser resolvido, o médium ou o Guia? A prática nossa é fora dos Templos dando bons exemplo,falando o mínimo de asneiras e aí sim, praticando a caridade da melhor forma que puder e não dentro do Templo onde quem pratica a caridade é o Guia e muitos sobem na caixinha de fósforos ,estufa o peito e diz: “Fui(ou vou) ao Templo prestar a caridade”.

Coitado do Guia! Rala décadas e décadas estudando, se preparando para poder incorporar e auxiliar quem pode (e merece) e justo seu médium sobe nas suas costas, se joga confetes e arrota “poder” sendo que na realidade não sabe nem o be-a-ba espiritual porque ou é um relapso, um aproveitador ou pessoa que (até de bom coração mas crente) resolveu seguir os conselhos de marmotas dando à eles o seu pescoço para estes colocarem a canga.

Nos Templos Umbandistas de fato, sérios e honestos, os Guias de A a Z , de Caboclos a Exus enaltecem o valor dos estudos, aconselham e induzem médiuns e consulentes ao hábito sadio da leitura edificante não impondo barreiras seletivas mas sempre com uso de lógica, coerência e discernimento.

Estão sempre solícitos a responder nossas perguntas e jamais se aborrecem por isso (mesmo que as perguntas girem em torno da infantilidade do tipo “sonhei com isso, o que é”).

Instruir é a maior missão dos verdadeiros Guias da Umbanda, resolver problemas é apenas uma das muitas consequências de sua missão. Enquanto nós temos uma visão da caridade que tende para o assistencialismo, a visão dos verdadeiros Guias da Umbanda tendem para a misericórdia, compaixão e solidariedade.

Falemos um sonoro NÃO a esta apologia à ignorância acerca da Espiritualidade.

Escrito por Centro Espiritualista de Umbanda Esperança

4 comentários:

Cândida Camini disse...

Estava lendo, concordando e pensando: este Douglas não tem papas na lingua mesmo hehehe. Bem, o texto não é teu, mas poderia ter sido escrito por ti né?
Beijos!

jair marques wolff jajá disse...

Concordo com o autor quanto a necessidade de estudarmos sempre, para melhor conhecermos nossa Sagrada lei.
Discordo, porém, quando o articulista diz que a Umbanda está se transformando num meio de vida. O lucro é incompatível com a Umbanda. sempre ensinamos que, na nossa Umbanda, existem três cláusulas pétreas: não cobrar, não usar sangue ou matança de animais, não fazer o mal. Dentro desta filosofia, toda vez que uma instituição transgredir qualquer um destas cláusulas, ela não é, ou deixou de ser Umbanda, que é sinônimo de caridade desinteressada.

Ronaldo disse...

Concordo plenamente com o texto, deparo-me com esta situação muitas vezes, onde vejo sempre a figura do coitadinho que busca soluções e se entregarmos um livro ou um texto para leitura e evolução no conhecimento, reluta sempre em fazer a leitura e pior de tudo, em praticar os ensinamentos validos... Preferem um banho de ervas... Não dar trabalho, né!!! Os guia não estão aqui para secar gelo, se cada um não fizer sua parte, tudo não passa de um jogo inútil. Meu Fraterno Saravá Ronaldo

Ronaldo disse...
Este comentário foi removido pelo autor.